Côte d'Azur · Europa · França · Mônaco

Côte D’Azur: roteiro de 1 dia em Mônaco

Como falei nesse post da nossa viagem pela Riviera Francesa, um dos primeiros povos a colonizar a Côte d’Azur foram os gregos que fundaram várias colônias por ali, dentre elas Monoïkos, no século VI, que muito tempo depois viria a ser Mônaco. De aí ele passou a fazer parte do Império Romano e em seguida ao Principado de Gênova, que em 1215, construíu um Castelo na Pedra de Mônaco que nos remonta à sua imagem como a conhecemos hoje.

Em 8 de janeiro de 1297, Francisco Grimaldi, na época cônsul de Gênova, tomou o Castelo de Mônaco a força. Dotado de apenas um pequeno exército, conseguiu adentrar à fortaleza disfarçado de monje. A família Grimaldi se aliou entao com o Rei da Fraça e permance no poder até hoje. Um dos fatos que os deixou bastante famosos foi o casamento do príncipe Ranieri com a atriz Grace Kelly, atriz de Hollywood, que acabou morrendo em um acidente de carro com 52 anos nas curvas da estrada da Côte D’Azur.

Veja o vídeo sobre Mônaco no meu canal do Youtube: https://youtu.be/Y0Qth58ftC8

O Castelo é considerado com um dos mais incomuns da Europa, porque enquanto outros reinos europeus estavam construindo luxuosos palácios renascentistas e barrocos, pelas circuntâncias do momento, o Palácio de Mônaco teve que ser fortificado. Além disso a família Grimaldi nao era influente e nem tinha riquezas ou outras propriedades e, por tanto, vivem no mesmo castelo há mais de 7 séculos, o que também é bastante incomum.

Desde 1911 é uma monarquia constitucional com proteçao limitada por parte da França. Mônaco nao pode se opor aos interesses políticos, militares ou econômicos da mesma.

O Castelo fica no topo da Roca de Mônaco e isso significa muitos degraus para chegar até ele. Mas todo o esforço vale a pena porque logo na entrada há um mirante para o cartao postal da cidade, a baia com os mega yates e as masoes luxuosas ao redor.

Até 1897 Mônaco era formado por 3 comunas: Mônaco, Roquebrune e Menton, sendo as duas últimas as mais ricas devido aos seus cultivos de cítricos e azeitonas, que era a base da sobrevivência do Principado. Devido às várias disputas territoriais da época, Mônaco perdeu suas duas comunas e foi entao que o Príncipe Carlos III teve a ideia de criar o Cassino de Montecarlo, já que o jogo era ilegal na maioria dos países vizinhos, ele viu ali uma oportunidade de que Mônaco pudesse viver dos dividendos do jogo.

O Cassino de Montecarlo fica na Place du Cassino onde estao os hoteis mais luxuosos do principado, o famoso Café de Paris e a Ópera de Montecarlo.

Nós entramos no Cassino, mas nao nas salas de jogos. Ele é bastante luxuoso e no hall há um tabuleiro gigantes para brincar ou tirar fotos. Uma curiosidade é que somente turistas podem jogar, os cidadao monegascos nao estao autorizados.

Além disso em 1869, Carlos III eliminou os impostos de bens pessoais e imobiliários o que fez com que se fomentasse uma grande onde de construçoes.

Outra fonte de renda da família Grimaldi sao as corridas de Fórmula 1. Bem na entrada da cidade já se vêem as pistas do percursos e a curva mais fechada, o S do Senna fica bem próxima ao Cassino. O Rally de Mônaco aconteceu em 1911 e o primeiro Grand Prix em 1929.

Contornando o Cassino pela Avenue de Montecarlo passamos pelas inúmeras lojas de luxo como Chanel, Louis Vuitton, Dior entre outras, pelos vários carroes desde Ferrari a Lamburghini passando por Aston Martins. Paramos na loja do Pierre Marcolini, que eu conheci na Bélgica e amo, ele é um maitre-chocolatier, que para verao em Mônaco abriu uma pop-up de sorvetes de chocolate ma-ra-vi-lho-sos!

Descemos para a Marina onde fica o Yate Club e o Jardin d‘Acclimatation, uma jardim exótico, bem ao estilo do que há em Eze, com muitos cactos e flores multicoloridas com uma linda vista para o Mediterrâneo. Um dia perfeito na Côte d’Azur.

Deixe uma resposta