Doiapoque a Nova York roteiro italia Archives - Doiapoque a Nova York
Itália: Roteiro 2º dia em Roma e Vaticano:

Roma | Do Vaticano ao Pantheon Vaticano No dia seguinte saimos bem cedo em direção ao Vaticano. Para chegar lá a estação de metrô mais próxima é a Octaviano. Chegando lá andamos mais uns 10 minutos seguindo o fluxo da multidão que também estava indo

para lá. A dica principal é já fazer a reserva do bilhete online para o Museu do Vaticano, que é onde fica a Capela Sistina. Com essa reserva, você pula toda a fila de entrada e vai direto para a bilheteria, pois os bilhete só podem ser comprados lá.Somente uma reserva é feita online e quando você chegar lá vai agradecer por tê-la feito. Vai por mim! Vaticano Ao entrar na na Basílica, logo do lado direito está a Pietá, esculpida por Michelangelo aos 23 anos. A imensidão do lugar impressiona, assim como os afrescos dourados e estátuas e o proeminente altar esculpido em madeira e adornado com ouro. As pinturas também são incríveis. Vaticano Vaticano Quase em frente ao altar está a entrada para o subsolo da basílica onde estão os túmulos dos antigos Papas, inclusive o do João Paulo II. Também é possível subir até a cúpula, mas como nosso horário para o Museu do Vaticano era às 10h30 pulamos essa e fomos direto procurar a entrada para do museu. O museu fica a uma distância de 1km caminhando a partir da Praça São Pedro contornando a muralha que cerca a cidade. Museu do Vaticano No museu há uma série de ‘galerias’ como o Musei Egiptz, o Musei Grego com a maior coleção fora da Grécia, alguns aposentos Papais pintados por Rafaello e Donatello até chegar à Capela Sistina que é a última galeria e também é onde acontece o Concílio Papal. capela sistina Museu do Vaticano O lugar fica lotado e fotografias são estritamente proibidas. Uma visita ao Vaticano pode tomar facilmente o dia todo, mas fizemos em uma manhã tranquilamente sem ficar muito tempo dentro de cada galeria. Museu do Vaticano De lá seguimos pela Via della Conciliazzione até a Piazza Adriana onde fica o Castello Sant’Angello, construído em 135(!) pelo imperador Adriano como fortaleza e maosoléo pessoal. Depois passou a ser fortaleza Papal. Castelo San'Angelo Durante a grande peste que assolou a Europa em 595 o então Para Gregório I afirmou ter visto uma aparição do arcanjo Gabriel sobre o topo do castelo anunciando o fim da epidemia. Para celebrar essa aparição, uma estátua do anjo coroa o edifício. Além disso a Ponte Sant’Angello em frente ao castelo é decorada com estátuas de 12 anjos. Ponte San'Angello Continuamos o percurso natural até a Piazza Navona, uma das mais famosas de Roma e originalmente construída como um antigo estádio da Roma Antiga. Piazza Navona É cercada por palácios barrocos e luxuosos café e abriga três fontes: uma central, a Fontana dei Quatro Fiumi, considerada uma das mais complexas e caras criada por Bernini. Ela representa quatro rios – o Danúbio, o Ganges, o Nilo e o Rio de la Plata. Em frente fica a Fontana Sant’Angese, construída por um rival de Bernini e na ponta sul a Fontana del Moro exibindo estátuas de quatro tritões e um quinto tritão cavalgando um golfinho. A base foi confeccionada com um mármore rosa especial. roteiro vaticano O obeslisco, também na ponta sul, veio do Egito. Apesar de um pouco caro, não deixe de provar a famosa sobremesa Tartufo no café Tre Scalini. Pantheon Deixamos a praça em direção ao Pantheon, que é o único edifício da época greco-romana que se encontra em perfeito estado de conservação, foi construído como um templo dedicado aos deuses do Pantheon Romano. Na Piazza dei Pantheon há vários restaurantes e foi lá que comemos uma das melhores pizzas da viagem, no Pizzeria Il Capriccio como despedida de Roma. Seguimos pela Via dei Seminario até a Via dei Corso onde fica o Templo de Adriano. Templo de Adriano roteiro roma

O nome dessa rua gerou várias piadinhas

De lá fizemos uma última parada na Fontana di Trevi (fomos lá 3 vezes!) e rumo à Estação Termini para pegar o trem expresso para o aeroporto. dicas restaurantes em roma

Selene Soares
Selene Soares

Itália: Dicas de Firenze – Ingressos, Hospedagem e Alimentação

– Ingressos Firenze é o berço da Renascença e não dá pra planejar uma visita sem incluir uma passagem em pelo menos um de seus museus.  Para evitar filas e garantir a sua ‘vaguinha’, o ideal é comprar os ingressos online. As opções de museus são várias, mas os dois impedíveis são a Galeria Ufizzi onde estão, por exemplo, a “Madonna no trono” de Giotto e “O Nascimento da Venus” de Boticeli, além de obras de Leonardo da Vinci, Michelangelo e Rafael e a Galeria dell’Academia onde está a estátua original de Davi de Michelangelo. galeria ufizzi florença – Os Cafés Históricos Uma das experiências mais gostosas de Firenze é sentar em um de seus antigos cafés que desde 1800 recebem intelectuais e artistas. Os mais bonitos café estão na Piaza della Republica como o Caffè Gilli, o Caffè Paszkowski e o Caffè Le Giubbe Rosse. São todos cafés super elegantes com serviço de high tea e mesas externas, feitos para apreciar a paisagem da praça com seu famoso carrossel. *Caffè Gilli cafe gilli Nós fomos no Caffè Gilli de 1733 que é o único com decoração em estilo Belle-Epòque com vitrais , atiguidades e lustres de Murano. Famoso pelo capuccino e ‘ciocolatta’ mais cremosos da cidade e pelas ‘pastries’ delicadas, além do seu Wine Bar. Caffè Gilli Florença Café mais simples, especialmente para um café da manhã sem tanto refinamento estão na Praça do Duomo como o Caffè Michelangiolo e a Latteria Caffellatte que valem uma visita até mesmo só por uma xícara de café. Outro ponto histórico da cidade é a Enoteca Procacci de 1824 que falo mais abaixo. – Restaurantes Na Itália come-se muito bem e a oferta de restaurantes é muito atraente. Há algumas diferenças do Brasil: os dois principais tipos de restaurantes são as ‘tratorias’ e as ‘buccas’ que são restaurantes nos porões das casas. Lá ninguém toma suco ou refrigerante durantes as refeições e sim água e vinho que junto com uma cestinha de pães e grisinis compõem a entrada da maioria dos restaurantes. Tratoria Marione – Via della Spada, 27, Florença, Itália Quando coloquei no mapa – bingo! a Tratoria Marione era quase do lado do nosso hotel e, logo, foi a escolhida. Tratoria Marione Florença Uma autentica cantina italiana com toalha xadrezinha, vinho da casa e muita ‘pasta’! No final, claro, um tiramissu porque ninguém é de ferro. Ótima escolha (e preço ainda melhor!). Lá eles também servem a típica Bisteca Fiorentina que é típica da região.

tratoria marione florença

Enoteca  e Deli Procacci – Via Tornabuoni, 64r, Florença, Itália enoteca procacci florença Já comentei sobre ela aqui. Sabe quando chega o meio da tarde quando bate aquela fominha? Vá de mini sanduíches trufados acompanhados por uma taça de Chianti Pépoli na Deli mais antiga de Florença! Não tem erro. enoteca procacci florença Mais dicas ótimas de restaurantes em Florença nos blogs da Camila Coutinho e Consuelo Blocker. – Hospedagem Nossa experiência na Toscana foi memorável. Chegamos em Firenze de trem a partir de Veneza e assim como Frances Mayes tivemos a oportunidade de morar numa legítima casa fiorentina e foi uma experiência inesquecível. acomodação florença Tudo começou quando pegamos um táxi na estação para a Via dei Medici, 6. O taxista entendeu Via dei Mezzo e nos largou no número 6 de uma ruela estreita e vazia às 7 horas da manhã de um dia frio, bem frio. Descobrimos o erro e decidimos pegar um novo táxi, o que naquela ruazinha, tornou-se uma tarefa bem difícil. Florença Mudamos de rua, depois mudamos de novo, e depois de quase uma hora conseguimos. Dessa vez resolvi mostrar o endereço por escrito e entendi o motivo da confusão: a pronúncia correta era Me-di-ti! Chegamos atrasados ao Hotel Medici, perdemos o quarto, mas ganhamos outro melhor, maior, reformado e legitimamante fiorentino em um pequeno predinho a alguns passos do Duomo. Melhor impossível! acomodação florença Quarto, sala e um banheiro, todo reformado, mas no estilo ainda usado pelos primeiros moradores da cidade: amplo com azulejos branquinhos e peças de louça também claras. Ressalto que os quartos do hotel em si, são bem mais simples e o café da manhã é fraco, mas em compensação o terraço tem uma das vistas mais bonitas do Duomo. acomodação florença Florença Tínhamos nossa própria chave, subíamos e descíamos as antigas escadas de madeira de mais de 1000 anos, ligávamos nós mesmos o aquecedor central, acordávamos com as badaladas do Duomo, sem recepção, com vizinho fiorentinos, tudo nosso. Florença Duomo

Selene Soares
Selene Soares