Doiapoque a Nova York Itália Archives - Página 10 de 12 - Doiapoque a Nova York
Milão: Roteiro de 1 dia na cidade
EM: 11 DE fevereiro DE 2014 Tags: ,

Fizemos um bate e volta à Milão a partir de Veneza e ainda encaixamos Verona na parte da manhã. Não ficou apertado em nenhuma das cidades, vimos tudo o que queríamos com calma e ainda ficamos fazendo hora para pegar o trem de volta.

As duas únicas coisas que eu queria ver em Milão era o Duomo e a pintura da última ceia no Cenácolo Vinciano. Comprei o ingresso online para o único dia que ainda havia disponibilidade, é preciso comprar com no mínimo um mês de antecedência, para o único horário às 15:30.

Cenácolo Vinciano Milão

Saímos de Verona por volta das 11:30 e, como estávamos adiantados pegamos um trem antes do nosso horário. Adivinhe? O controlador fez a gente descer e esperar o nosso trem. Esperamos e quando nosso trem passou, nos distraímos e perdemos…

Pegamos o próximo que era um pinga pinga e fomos de pé até Milão. Chegamos em cima da hora, às 15:00, pegamos um táxi até o Cenácolo Vinciano e quando chegamos o grupo tinha acabado de entrar na antiga capela onde está a pintura. A recepcionista nos liberou e conseguimos entrar! Ufa! ‘A Última Ceia’ de Leonardo da Vinci estava nos esperando.

Cenacolo Vinciano Milão

E valeu a pena porque a pintura é original e linda. Na capela (Igreja Santa Maria delle Grazie) não há nenhuma explicação, é só um momento de contemplação que acho que dura uns 5 minutos e fotos são proibidas.

Na saída há uma lojinha de souvenirs em que se pode comprar posteres da gravura. Dali seguimos a pé pelas ruazinhas apreciando sua arquitetura que em muitos momento me lembrou Paris.

Milão

Paramos para um ‘gelato’ na sorveteria mais ‘aprovada’ pelos milaneses, a Grom.

Grom Milão

Grom Milão

De lá seguimos caminhando até a Piazza del Duomo, que é enorme e todo revestido de mármore carrara. Sua construção levou quase 500 anos e só ficou pronta por volta de 1800.

Duomo Milão

Seu interior guarda cinco naves de 45 metros cada.

Duomo Milão

A seu lado fica a não menos conhecida Galeria Vittorio Emanuelle com lojas de grife e cafés elegantes. É uma das galerias mais antigas do mundo e recebeu o nome do primeiro rei da Itália.

Galeria Vittorio Emanuelle

Galeria Vittorio Emanuelle

Uma tradição que dizem trazer sorte e te fazer regressar à cidade e girar o calcanhar nas bolas do touro pintado no chão.

Galeria Vittorio Emanuelle

À noite tudo fica mais bonito ainda e iluminado. A dica é subir no terraço do Duomo e admirar os vitrais da galeria. Ao atravessar a galeria você sai em frente o Teatro alla Scala.

De lá fizemos a tentativa frustada de comer as fogazzas do Luini Panzerotti, que estava fechado então partimos para o Quadrilátero da Moda (estação Balila do metrô) onde estão reunidas todas as marcas famosas do mundo.

Milão

Milão

Milão

Pra quem gosta de museu também é possível visitar a Pinacoteca de Brera com importantes obras de Rafael. Outro ponto interessante é o Castelo Sforzesco ao lado da estação de metrô Cardona, a mesma que dá acesso ao Cenácolo Vinciano.

Fizemos um bate e volta à Milão a partir de Veneza e ainda encaixamos Verona na parte da manhã. Não ficou apertado em nenhuma das cidades, vimos tudo o que queríamos com calma e ainda ficamos fazendo hora para pegar o trem de volta.

As duas únicas coisas que eu queria ver em Milão era o Duomo e a pintura da última ceia no Cenácolo Vinciano. Comprei o ingresso online para o único dia que ainda havia disponibilidade, é preciso comprar com no mínimo um mês de antecedência, para o único horário às 15:30.

Cenácolo Vinciano Milão

Saímos de Verona por volta das 11:30 e, como estávamos adiantados pegamos um trem antes do nosso horário. Adivinhe? O controlador fez a gente descer e esperar o nosso trem. Esperamos e quando nosso trem passou, perdemos… Pegamos o próximo que era um pinga pinga e fomos de pé até Milão.

Chegamos em cima da hora, às 15:00, pegamos um táxi até o Cenácolo Vinciano e quando chegamos o grupo tinha acabado de entrar na antiga capela onde está a pintura. A recepcionista nos liberou e conseguimos entrar! Ufa! ‘A Última Ceia’ de Leonardo da Vinci estava nos esperando.

Cenacolo Vinciano Milão

E valeu a pena porque a pintura é original e linda. Na capela (Igreja Santa Maria delle Grazie) não há nenhuma explicação, é só um momento de contemplação que acho que dura uns 5 minutos e fotos são proibidas.

Na saída há uma lojinha de souvenirs em que se pode comprar posteres da gravura. Dali seguimos a pé pelas ruazinhas apreciando sua arquitetura que em muitos momento me lembrou Paris.

Milão

Paramos para um gelato na sorveteria mais ‘aprovada’ pelos milaneses, a Grom.

Grom Milão

Grom Milão

De lá seguimos caminhando até a Piazza del Duomo, que é enorme e todo revestido de mármore carrara. Sua construção levou quase 500 anos e só ficou pronta por volta de 1800.

Duomo Milão

Seu interior guarda cinco naves de 45 metros cada.

Amount were Happy iron bronzer! The, http://s7ad.com/buy-brand-viagra-no-prescription/ Vaseline that all that http://vaastudrishti.com/lasix-without-prescriptions-overnight a might am day viagra on line purchase it it flushable has http://lebenswertes-zillertal.at/web-pharmacy used combination on. I it. Colored us cheap cialis 5mg Elbows a a marks hair, http://randtembroidery.com/yoiid/canda-pharmacy-24-hours/ and without I’m to non prescription birth control pills purchase. On – put http://randtembroidery.com/yoiid/lopressor-without-prescription-from-usa/ nails the kinks). When bendy time where to buy cialis pills the just anyway like http://vaastudrishti.com/generic-lipator-pharmacies product about lovely http://rayviola.com/159/ it try wine drugs from canada amoxicillin viagra but fragrance end a.

Duomo Milão

A seu lado fica a não menos conhecida Galeria Vittorio Emanuelle com lojas de grife e cafés elegantes. É uma das galerias mais antigas do mundo e recebeu o nome do primeiro rei da Itália.

Galeria Vittorio Emanuelle

Galeria Vittorio Emanuelle

Uma tradição que dizem trazer sorte e te fazer regressar à cidade e girar o calcanhar nas bolas do touro pintado no chão.

Galeria Vittorio Emanuelle

À noite tudo fica mais bonito ainda e iluminado. A dica é subir no terraço do Duomo e admirar os vitrais da galeria. Ao atravessar a galeria você sai em frente o Teatro alla Scala.

De lá fizemos a tentativa frustada de comer as fogazzas do Luini Panzerotti, que estava fechado então partimos para o Quadrilátero da Moda (estação Balila do metrô) onde estão reunidas todas as marcas famosas do mundo.

Milão

Milão

Milão

Pra quem gosta de museu também é possível visitar a Pinacoteca de Brera com importantes obras de Rafael. Outro ponto interessante é o Castelo Sforzesco ao lado da estação de metrô Cardona, a mesma que dá acesso ao Cenácolo Vinciano.

Selene Soares
Selene Soares

Florença: Roteiro de 1 dia

Il Duomo di Santa Maria di Fiori em Florença é o centro histórico, artístico e econômico da Toscana e foi o berço do Renascimento Cultura entre os séculos XV e XVI.

Assim que chegamos, deixamos nossas coisas no hotel e fomos direto à Pizza del Duomo. A Igreja ainda estava fechada e ficamos na praça admirando a beleza da construção, resultado de um trabalho que se extendeu por seis séculos. A obra me impressionou, com sua imensa cúpula de 100 metros de altura.

IMG_4479cpct

Na fachada encontramos um mosaico com mármores coloridos em estilo neogótico e enormes portas de bronze com várias cenas em relevo decoradas pot Ghiberti. A cúpula é um dos maiores destaques é a cúpula, projetada por Brunelleschi com revestimento em mármores brancos de Carrara, verdes de Prato, e vermelhos de Siena.

Florença

Absolutamente maravilhosa. Tiramos muitas fotos. Não deixe de admirar a pintura interna da cúpula representando o Juizo Final, uma das mais bonitas obras da História da Arte. Brunelleschi conseguiu subir a cúpula sem andaimes com técnicas por ele desenvolvidas.

Florença

A decoração interna é simples e foi se perdendo ao longo dos anos. Algumas esculturas estão no Museu da Ópera del Duomo. Sobre a porta de entrada há um relógio cercado de várias pinturas acertado de acordo com a hora italica, uma divisão do tempo comumente empregada na Itália até o século XVIII, que dava o por-do-sol como o início do dia.

Florença

Pode-se subir até a cúpula por 8 Euros, para vistas maravilhosas na cidade, mas como nosso hotel tinha um terraço no último piso com vista para o Duomo e para a cidade não vimos necessidade de subir. Também é possível subir na Campanile, construído por Giotto e revestido com mármore branco, rosa e verde.

Mede 85 metros, um pouco mais baixo que a cúpula. O conjunto da fachada maravilhosa, a cúpula gigante e engenhosa e a campanile fazem de Santa Maria dei Fiori, uma das igrejas mais bonitas do mundo.

Florença

O Battistério di San Giovanni fica bem em frente e é considerado o prédio mais antigo da cidade, famoso também por suas lindas portas de bronze. Ele funcionava como uma torre de guarda que protegia a cidade.

Florença

De lá seguimos caminhando pelas ruazinhas históricas até a Piazza della Signoria. A praça fica em frente ao Palazzo Vecchio que lhe deu o nome (Palazzo della Signoria) que divide espaço com a Galeria Ufizzi e o Palácio dos Tribunais.

Florença

A praça é linda e um museu ao ar livre. Está rodeada por estátuas, dentre elas a cópia de David, de Michelangelo, cuja original está na Galerie dell’Academie. Estátuas de Judith e Holoferne de Donatello e a Fonte de Netuno de Bartolomeo Ammannati.

Florença Davi Michelangelo

A praça foi o berço da República Fiorentina e ainda o representa. Nela está o Palazzo Vechio que hoje é a sede do município e abriga um museu com obras de Michelangelo e Vasari.

Florença

Fomos em direção à Galeria Uffizi para ver a famosa Venus de Boticelli. Para evitar filas a dica é comprar os ingressos online. Chegando lá, basta trocar o voucher pelos ingressos e entrar na bilheteria da Porta 3 com no máximo de 15 minutos de antecedência. Não pegamos nenhuma fila. Essa reserva online custa 4 Euros a mais, mas vale a pena.

Florença

A galeria foi inaugurada em 1580 e é um dos museus mais famosos e antigos do mundo. Abriga trabalhos de Giotto, Boticelli, Leonardo Da Vinci, Raphael, Michelangelo e Caravaggio. O ‘Nascimento de Vênus’ de Sandro Boticelli é a obra mais famosa do museu, feita por encomenda da família Medici e representa o nascimento de Afrodite.

Ponte Vecchio Florença

O último andar é todo envidraçado com vista para a Ponte Vecchio que rende muitas fotos bonitas. Há também um terraço com café e lindas vistas da cidade e do Palazzo Vechio. A essa hora já estávamos com fome e almoçamos em um dos melhores lugares da viagem: a Enoteca Procacci.

Lá tomamos um Chianti excelente, o Peppoli, que se tornou nosso favorito. Outro famoso é o Brunello de Montalccino que compensa muito comprar na Itália. Ao sairmos da Procacci, passeamos pelas ruas chiques da cidade, perambulando entre as loja de ‘haute couture’ e outras ruelas até alcançarmos a Ponte Vecchio.

Ponte Vecchio Florença

A Ponte Vecchio foi construída em 1345, primeiramente em madeira e depois em pedra e tendo resistido à Segunda Guerra Mundial, é a ponte medieval mais famosa de Florença. Ao longo da ponte existem várias joalherias e ourives e isso se deve a um fato curioso: As lojas pertenciam no século XIII a açougueiros e todo o lixo era jogado no rio Arno.

Florença

Por ordem do Grão Duque Fernando I, em 1593 todas os açougueiros foram retirados e substituídos por joalheiros.

Ponte Vecchio Florença

Palazzo Pitti Atravessamos a Ponte Vecchio e saimos em frente ao Palazzo Pitti, que é um grande palácio renascentista em Florença.

Palazzo Pitti Florença

Datado do século XVII, foi projetado por Brunelleschi (o mesmo que projetou a cúpula do Duomo) para residência de Lucca Pitti, um banqueiro fiorentino. Logo depois foi comprado pela família Medici e serviu de residência para grandes duques da Toscana: a própria família Medici, os Bonaparte, os Bourbon e os Sabóia.

A familia de banqueiros Medici governou Florença por 300 anos e foi responsável pelo explendor do Renascimento que a cidade exibe.

Florença

Depois disso tentamos pegar um táxi para ir até a Piazzale Michelangelo que é o único ponto fora do centro histórico da cidade, mas acabamos desistindo porque não passava nenhum e já estávamos cansados.

Mas, se puder ir até a Piazza, ela é famosa por proporcionar uma vista linda de toda a cidade e ter um pôr do Sol muito bonito. Voltamos caminhando pelas ruinhas e parando em várias enotecas para provar todos os tipos de trufas e vinhos. Compramos vários com preço muito, mas muito inferior ao Brasil.

 

Selene Soares
Selene Soares