Doiapoque a Nova York Chile Archives - Página 2 de 10 - Doiapoque a Nova York
Santiago: 2º dia manhã – La Chascona, a Casa Pablo Neruda e o Bairro Bella Vista
EM: 19 DE janeiro DE 2015

La Chascona é a casa-barco do poeta Pablo Neruda em Santiago e ficano bairro Bellavista, aos pés do Cerro San Cristóbal.

Santiago

É importante fazer um agendamento prévio no site do museu para garantir sua vaga. Nós chegamos atrasados e perdemos o horário, mas foi só esperar 30 minutos pela próxima visita e deu tudo certo. Lá dentro tem um café super bonitinho com umas opções bem gostosas. O tempo passou rapidinho.

Santiago

Quando morei na Argentina comprei um livro de poesias do Pablo Neruda e desde então tive vontade de conhecer a sua casa-barco.

Ele é um dos poetas mais imporatntes do século XX, foi exilado, época em que conheceu sua primeira esposa e tambémtrabalhou como cônsul do Chile na Espanha e depois no México. Foi o vencedor do Prêmio Nobel de Literatura em 1871.

Santiago

Neruda também tinha duas outras casas que também são museus hoje: uma na Isla Negra e outra na cidade de Valparaíso, chamada La Sebastiana.

Santiago

A casa-barco foi construída em 1953 para sua amante Matilde, e levou o apelido da mesma, Chascona que significa descabelada. O poeta só foi morar nela em 1955, quando se separou oficialmente de sua primeira esposa. Ele faleceu em 1973 e Matilde continuou morando na casa até sua morte em 1985.

Santiago

O museu é constituído de diversos objetos que fizeram parte da vida do casal. O tour passa por todos os ambientes da casa ea maioria dos objetos encontrados são originais e muitos deles foram trazidos das outras casas de Neruda para fazer parte do acervo.

Santiago

A casa foi construída em formato de barco, com teto bem baixo e escadas estreitas. Durante o golpe militar de 1973 ela foi saqueada, mas foi restaurada e hoje é um dos principais museus de Santiago.

Santiago

Santiago

Depois do museu aproveitamos para passear um pouco pelo bairro da Bella Vista, que é um bairro boêmio e sua principal rua é a calle Constituición, onde ficam os principais bares e restaurantes e o Patio Bellavista, um centro comercial e gastronômico com diversas opções de restaurantes.

Santiago

Santiago

Aproveitamos para almoçar no Le Fournil antes de irmos para a degustação na Vinícula Concha y Toro.

Selene Soares
Selene Soares

Valparaíso: A Cidade dos Elevadores
EM: 14 DE agosto DE 2014 Tags: ,

Aproveitamos nosso segundo dia na cidade para conhecer duas cidades litorâneas: Valparaíso e Viña del Mar.

Contratamos um tour do Brasil mesmo, com a mesma agência que usamos no Atacama, a TurisTour e na hora marcada o micro ônibus passou no nosso hotel.

Eu queria muito fazer esse tour com guia porque só tínamos um dia para as duas cidades então conheceríamos os principais pontos e ainda de quebra receberíamos todas as informações históricas do lugar. O nosso guia era tão divertido que até receitas típicas ele nos ensinou.

A paisagem do caminho é muito bonita e passamos pelo Valle de Casablanca, uma das mais importantes regiões vinículas do Chile, com vinhedos à beira da estrada. Fizemos uma parada para apreciar a vista e tirar milhares de fotos.

Chile

Nossa primeira parada foi em Valparaíso, uma cidade portuária dentre as mais antigas do Chile e cuja área histórica foi considerada Patrimônio Cultural da Humanidade pela UNESCO.

Valparaiso

Uma de suas características mais marcantes é a geografia repleta de ‘cerros’ ou morros à beira do mar.Para subí-los há 15 elevadores, ou ascensores, espalhados pela cidade que são a marca registrada do lugar.

Valparaiso

A cidade é meio bagunçada e antiga, mas ao mesmo tempo muito charmosa com seu porto e a Avenida Brasil que recebeu o nome em homenagem ao nosso país que doou todas as palmeiras plantadas ao longo do seu cumprimento.

Mas, no geral, achei que parecia um grande cortiço, parecido com as casinhas de La Boca na Argentina. Várias casas coloridas e amontodas sobre os morros.

Vaparaiso

Além disso achamos a cidade suja e mal cuidada e a maioria dos seus muros são totalmente pixados.

Chegamos na cidade pela Av. Brasil e fomos margeando a costa até o porto. Visitamos o Muelle Baron, um pier desativado que hoje é usados para shows.

Valparaiso

Perto dali ficava o Ascensor Artilleria, um elevador que sobe até o mirante doPaseo 21 de Mayo. Ele foi construído em 1893 e está bem mal conservado então resolvemos subir o ‘cerro’ a pé até o mirante.

Valparaiso

O mirante doPaseo 21 de Mayo, é o principal da cidade, e oferece uma vista panorâmica da cidade e do porto de Valparaíso.

No mirante há muitos músicos e uma feirinha com várias barracas de artesanato e artigos de lã.Em frente fica o Museo Naval y Maritimo, que conta a história das grandes navegações chilenas.

Valparaiso

De lá fomos para a Plaza Sotomayor que é a maior e principal da cidade e que ostenta o Monumento a los heroes de Iquique em homenagem aos participantes da batalha. No subterrâneo há um mausoleu com os corpos dos combatentes.

Valparaiso

A praça é bem cheia de gente e também oferece vista ao porto. No centro havia um senhor com uma lhama tentando estorquir din heiro dos turistas. Era só uma criança chegar perto para brincar com o animal que ele já cobrava os pais, era só você olhar para a lhama que ele já queria te cobrar.

Valparaiso

Acredito que a cidade tenha um excelente potencial turistico, pois é muito interessante e diferente, mas precisa além de uma boa reforma, de ser mais bem cuidada. A primeira vista, ela parece abandonada.

Lá fica também a segunda casa do poeta Pablo Neruda, a La Sebastiana.

Selene Soares
Selene Soares